Climate Science Glossary

Term Lookup

Enter a term in the search box to find its definition.

Settings

Use the controls in the far right panel to increase or decrease the number of terms automatically displayed (or to completely turn that feature off).

Term Lookup

Settings


All IPCC definitions taken from Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Working Group I Contribution to the Fourth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change, Annex I, Glossary, pp. 941-954. Cambridge University Press.

Home Arguments Software Resources Comments The Consensus Project Translations About Donate

Twitter Facebook YouTube Pinterest

RSS Posts RSS Comments Email Subscribe


Climate's changed before
It's the sun
It's not bad
There is no consensus
It's cooling
Models are unreliable
Temp record is unreliable
Animals and plants can adapt
It hasn't warmed since 1998
Antarctica is gaining ice
View All Arguments...



Username
Password
Keep me logged in
New? Register here
Forgot your password?

Latest Posts

Archives

Phil Jones e o significado de ‘aquecimento estatisticamente significativo’

O que a ciência diz...

Quando você lê as palavras de Phil Jones, de verdade, você vê que o que ele está dizendo é que há uma tendência de aquecimento, mas que não é estatisticamente significativa. Ele não está falando se o aquecimento está acontecendo de fato. Ele está discutindo nossa capacidade para detector a tendência de aquecimento durante períodos curtos de tempo.

Argumento cético...

Phil Jones diz que não há aquecimento global desde 1995

'Phil Jones disse que nos últimos 15 anos não tem havido um aquecimento “estatisticamente significativo”. As revelações serão aproveitadas pelos céticos como novas evidências de que existem sérias falhas no coração da ciência das mudanças climáticas e da ortodoxia de que o aumento recente na temperatura é em grande parte causado pelo homem.' (Daily Mail)

Uma manchete no Daily Mail afirma que Phil Jones, ex-diretor da Unidade de Pesquisa do Clima da Universidade do Leste de Anglia, disse “não há aquecimento global desde 1995". Não só Phil Jones não usou essas palavras, como essa interpretação demonstra o pouco entendimento dos conceitos científicos por trás das palavras dele. Para compreender completamente o que Phil Jones estava dizendo, precisamos ler suas palavras, de fato, e entender a ciência sob discussão. Segue uma parte relevante da entrevista da BBC:

BBC: Você concorda que de 1995 até hoje não houve aquecimento global estatisticamente significativo?

Phil Jones: Sim, mas só isso. Eu também calculei a tendência para o período de 1995 a 2009. Essa tendência (0,12oC por década) é positiva, mas não significativa em um intervalo de confiança de 95%. A tendência positiva se aproxima do próprio intervalo de confiança. Alcançar significância estatística em termos científicos é muito mais provável para longos períodos de tempo, e muito menos provável para curtos períodos.

BBC: Quão confiante você está de que o aquecimento está acontecendo e que o homem é o principal responsável?

Phil Jones: Eu estou 100% confiante de que o clima está aquecendo. Com relação à segunda questão, eu concordo com o Capítulo 9 do IPCC – há evidências de que a maior parte do aquecimento desde os anos 1950 se deve à atividade humana.

Phil Jones está dizendo que existe uma tendência de aquecimento, mas que ela não é estatisticamente significativa. Ele não está falando se o aquecimento está acontecendo de fato. Ele está discutindo nossa capacidade de detectar a tendência de aquecimento em curtos períodos de tempo. Para demonstrar isso, veja o registro de temperaturas do banco de dados HadCRUT, de 1995 a 2009. A tendência linear é de aquecimento. Contudo, os registros de temperatura possuem muito ruído em períodos curtos. Um sinal com ruído significa que em um período curto de tempo, a incerteza na tendência de aquecimento é quase tão grande quanto a própria tendência. Consequentemente, é considerada estatisticamente insignificante. Em longos períodos de tempo, a incerteza é menor e a tendência é estatisticamente mais significativa.

HadCRUT global temperature 1995 to 2009

Figura 1: Mudanças na temperatura global, de acordo com o banco de dados HadCRUT, em graus Celsius. A linha azul é a média anual. A linha vermelha é a tendência linear (HadCRUT).

Vale lembrar que o registro do HadCRUT cobre somente cerca de 80% do globo. Análises do Centro Europeu para Previsões Meteorológicas de Médio Prazo (ECMWF) e a NASA GISS (Hansen 2006) identificaram que as áreas omitidas pelo HadCRUT estão em algumas das regiões, do mundo, que apresentam um aquecimento mais rápido. Consequentemente, o registro do HadCRUT subestima a tendência de aquecimento, como demonstrado pelo registro da NASA GISS que cobre todo o globo:

NASA GISS global temperature 1995 to 2009
Figura 2: Mudança na temperatura global de acordo com a NASA GISS, em graus Celsius. A linha azul é a média anual. A linha vermelha é a tendência linear (NASA GISS).

No entanto, mesmo essas informações não fornecem um quadro completo. A temperatura da superfície é apenas uma pequena fração do nosso clima, com a maior parte do aquecimento global indo para os oceanos. Quando todo o calor acumulado nos oceanos, o aquecimento da terra e da atmosfera e o derretimento do gelo são levantados, vemos que o aquecimento global ainda está acontecendo.


Figura 3: Mudança no conteúdo total de calor da Terra desde 1950 (Murphy 2009).

Última atualização em 26 de junho de 2010 por John Cook.

 

Leituras adicionais

Para uma introdução ao conceito de significância estatística, ler Significance in Statistics & Surveys.

Outra excelente discussão sobre estatística pode ser encontrada em Tamino's The Power — and Perils — of Statistics.

Translation by claudiagroposo, . View original English version.



The Consensus Project Website

THE ESCALATOR

(free to republish)


© Copyright 2020 John Cook
Home | Links | Translations | About Us | Privacy | Contact Us