Climate Science Glossary

Term Lookup

Enter a term in the search box to find its definition.

Settings

Use the controls in the far right panel to increase or decrease the number of terms automatically displayed (or to completely turn that feature off).

Term Lookup

Settings


All IPCC definitions taken from Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Working Group I Contribution to the Fourth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change, Annex I, Glossary, pp. 941-954. Cambridge University Press.

Home Arguments Software Resources Comments The Consensus Project Translations About Donate

Twitter Facebook YouTube Pinterest

RSS Posts RSS Comments Email Subscribe


Climate's changed before
It's the sun
It's not bad
There is no consensus
It's cooling
Models are unreliable
Temp record is unreliable
Animals and plants can adapt
It hasn't warmed since 1998
Antarctica is gaining ice
View All Arguments...



Username
Password
Keep me logged in
New? Register here
Forgot your password?

Latest Posts

Archives

Climate Hustle

Como o Período Quente Medieval se compara às temperaturas globais atuais?

O que a ciência diz...

Enquanto o Período Quente Medieval registrou temperaturas excepcionalmente altas em algumas regiões, globalmente o planeta estava mais frio do que as condições atuais.

Argumento cético...

O Período Quente Medieval foi mais quente

"Por enquanto, porém, basta ver que o Período QUENTE Medieval mostrou ser global e mais quente do que hoje." (Reflexões do Chiefio)

Um dos argumentos mais citados pelo céticos do aquecimento global é que o Período Quente Medieval (800-1400 d.C.) foi tão ou mais quente do que hoje. Usar isso como uma prova para dizer que não podemos estar causando o aquecimento atual é uma falsa ideia baseada mais na retórica do que na ciência. Então, quais são os furos dessa linha de pensamento?

Primeiramente, as evidências sugerem que o Período Quente Medieval pode ter sido mais quente do que hoje em muitas partes do globo, tais como no Atlântico Norte. Esse aquecimento permitiu que os Vikings viajassem mais ao norte do que antes devido à redução do gelo marinho e terrestre no Ártico. Contudo, as evidências também sugerem que alguns lugares estavam muito mais frios do que hoje, incluindo o pacífico tropical. Resumindo, quando calculamos a média entre os lugares quentes e os frios fica claro que o aquecimento foi, provavelmente, similar àquele do início ao meio do século XX.

Desde o aquecimento do início do século, as temperaturas têm subido muito além das alcançadas durante o Período Quente Medieval na maior parte do globo. O Relatório da Academia Nacional de Ciências de 2006, considerou plausível que as temperaturas atuais sejam mais quentes do que durante o Período Quente Medieval. Outras evidências obtidas desde 2006 sugerem que mesmo no Hemisfério Norte, onde o Período Quente Medieval foi mais evidente, as temperaturas atuais estão além das experimentadas durante a época medieval (Figura 1). Isso também foi confirmado por um importante artigo escrito, em 2013, por 78 cientistas representando 60 instituições científicas ao redor do mundo.

Em segundo lugar, o Período Quente Medieval tem causas conhecidas que explicam a escala e o padrão do aquecimento. Está claro para os cientistas agora que o Período Quente Medieval ocorreu durante uma época em que a radiação solar estava acima da média e a atividade vulcânica abaixo (ambos resultando em aquecimento). Uma nova evidência também sugere que mudanças nos padrões de circulação oceânica tiveram um papel importante ao levar águas mais quentes para o Atlântico Norte. Isso explica muito do extraordinário aquecimento da região. Essas causas de aquecimento contrastam significativamente com o aquecimento atual, que nós sabemos que não pode ser causado pelos mesmos mecanismos.

No geral, nossas conclusões são:

a) Globalmente as temperaturas estão mais quentes do que estiveram durante os últimos 2.000 anos, e

b) as causas do aquecimento Medieval não foram as mesmas que causaram o aquecimento do final do século XX.

 

Figura 1: Reconstrução das Temperaturas do Hemisfério Norte por Moberg et al. (2005), mostrada em azul; Registro Instrumental de Temperaturas da NASA, mostrado em vermelho.

Refutação básica escrita por dana1981


Atualizado em julho de 2015:

Link para uma videoaula relacionada ao assunto: Denial101x - Making Sense of Climate Science Denial

 

Última atualização em 07 de julho de 2015 por pattimer. Ver Arquivos

Versão para impressão  |  Versão PDF Offline  |  Link desta página

 

Agradecimentos

Muito obrigado a gp2 que gerou o padrão de temperatura para a última década, com base nos dados do NOAA.

Translation by claudiagroposo, . View original English version.



The Consensus Project Website

THE ESCALATOR

(free to republish)

Smartphone Apps

iPhone
Android
Nokia

© Copyright 2018 John Cook
Home | Links | Translations | About Us | Contact Us