Climate Science Glossary

Term Lookup

Enter a term in the search box to find its definition.

Settings

Use the controls in the far right panel to increase or decrease the number of terms automatically displayed (or to completely turn that feature off).

Term Lookup

Settings


All IPCC definitions taken from Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Working Group I Contribution to the Fourth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change, Annex I, Glossary, pp. 941-954. Cambridge University Press.

Home Arguments Software Resources Comments The Consensus Project Translations About Donate

Twitter Facebook YouTube Pinterest

RSS Posts RSS Comments Email Subscribe


Climate's changed before
It's the sun
It's not bad
There is no consensus
It's cooling
Models are unreliable
Temp record is unreliable
Animals and plants can adapt
It hasn't warmed since 1998
Antarctica is gaining ice
View All Arguments...



Username
Password
Keep me logged in
New? Register here
Forgot your password?

Latest Posts

Archives

Climate Hustle

1934 é o ano mais quente já registrado

O que a ciência diz...

1934 costumava ser o ano mais quente nos registros dos EUA (2012 é agora o mais quente, por uma grande margem), mas os EUA representam apenas 2% do globo terrestre. De acordo com os registros de temperatura da NASA, os anos mais quentes já registrados globalmente foram 2005 e 2010.

Argumento cético...

1934 - O ano mais quente já registrado

Steve McIntyre observou uma descontinuidade estranha nos dados de temperatura dos EUA, que ocorreram em janeiro de 2000. McIntyre avisou a NASA, que reconheceu o problema como um equívoco que seria consertado na próxima atualização dos dados. Como resultado, "O ano mais quente já registrado nos EUA é agora 1934. O ano de 1998 (há muito alardeado pela mídia como sendo o mais quente) passa para a segunda colocação." (Daily Tech).

A descoberta de Steve McIntyre, de uma falha nos dados de temperatura GISS, é um façanha impressionante. Acredite, é um erro muito embaraçoso para a NASA. Mas qual a significância disso?

A Falha "Y2K" da NASA

Ao contrário de muitas notícias veiculadas, o erro não foi um problema causado pelo bug do milênio (Y2K no termo em inglês) mas sim uma confusão na correção dos dados em relação ao NOAA. O GISS da NASA obtém muito de seus dados de temperatura do NOAA, que ajusta o sistema para filtrar e retirar polarizações primárias de tempo de observação (apesar das suas correções também incluírem heterogeneidades e aquecimento urbano - mais sobre as correções do NOAA). A partir de janeiro de 2000, a NASA estava utilizando, erroneamente, dados não corrigidos.

Temperatura dos EUA versus tendências na temperatura global

O que normalmente é negligenciado é o fato de que os ajustes de temperatura em questão são aplicados apenas em 48 estados americanos. A área dos EUA representa apenas 2% da superfície total do planeta. Isso tem um efeito infinitesimal na tendência global de temperatura.

O gráfico abaixo (cortesia de Open Mind) compara a tendência global de temperaturas antes e depois das correções. Antes que o erro fosse descoberto, a tendência era de 0.185°C/década. Depois que as correções foram feitas, a tendência continuou sendo de 0.185°C/década. A mudança na média global foi de menos de um centésimo de um grau.

GISS temperature before and after Y2K adjustment
Figura 1: Anomalia da temperatura global antes (quadrados vermelhos) e depois (losangos pretos) as correções do bug "Y2K" da NASA (Open Mind).

Translation by Luciano Marquetto, . View original English version.



Get It Here or via iBooks.


The Consensus Project Website

TEXTBOOK

THE ESCALATOR

(free to republish)

THE DEBUNKING HANDBOOK

BOOK NOW AVAILABLE

The Scientific Guide to
Global Warming Skepticism

Smartphone Apps

iPhone
Android
Nokia

© Copyright 2017 John Cook
Home | Links | Translations | About Us | Contact Us