Climate Science Glossary

Term Lookup

Enter a term in the search box to find its definition.

Settings

Use the controls in the far right panel to increase or decrease the number of terms automatically displayed (or to completely turn that feature off).

Term Lookup

Settings


All IPCC definitions taken from Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Working Group I Contribution to the Fourth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change, Annex I, Glossary, pp. 941-954. Cambridge University Press.

Home Arguments Software Resources Comments The Consensus Project Translations About Donate

Twitter Facebook YouTube Pinterest

RSS Posts RSS Comments Email Subscribe


Climate's changed before
It's the sun
It's not bad
There is no consensus
It's cooling
Models are unreliable
Temp record is unreliable
Animals and plants can adapt
It hasn't warmed since 1998
Antarctica is gaining ice
View All Arguments...



Username
Password
Keep me logged in
New? Register here
Forgot your password?

Latest Posts

Archives

Climate Hustle

O tempo frio refuta o aquecimento global?

O que a ciência diz...

Desde a metade dos anos 1970, as temperaturas globais têm aumentado em aproximadamente 0.2 graus Celsius por década. Contudo, o clima meteorológico impõe seus próprios altos e baixos dramáticos nas tendências de longo prazo. Esperam-se recordes de baixas temperaturas mesmo durante o aquecimento global. Apesar disso, durante a última década, recordes diários de altas temperaturas ocorreram com duas vezes mais frequência do que recordes de baixas temperaturas. Prevê-se que essa tendência em direção a dias mais quentes aumente conforme o aquecimento global continua ao longo do século 21.

Argumento cético...

Está frio demais!

"A Áustria está vendo hoje a mais antecipada queda de neve da história, com 30 a 40 centímetros já previstos para as montanhas. Essa queda dramática nas temperaturas fornece evidências superficiais àqueles que duvidam que o mundo está sendo ameaçado pelas mudanças climáticas." (Mail Online)

Desde meados dos anos 1970, as temperaturas globais têm aumentado por volta de 0,2°C por década. No entanto, o clima impõe seus próprios altos e baixos nas tendências de longo prazo. Apesar disso, quem nunca ouviu alguém em um dia frio resmungar: "o que aconteceu com o aquecimento global?!" É da natureza humana lembrar eventos anormais: ondas de calor extremas e dias de frio congelante. Calcular mentalmente tendências estatísticas a longo prazo não é tão fácil quanto relembrar aquela manhã fria alguns invernos atrás ou aquela sufocante onda de calor no último verão. Mas nós podemos aprender algo sobre as tendências climáticas a partir destes dias muito quentes ou muito frios.

Um recorde de temperatura para um determinado dia do ano significa que aquele ano teve a temperatura mais alta em toda a história dos registros meteorológicos naquele dia específico. Conforme o tempo passa, o número de recordes, tanto de altas temperaturas quanto de baixas, irá diminuir. Isso ocorre por que com o passar dos anos e com o acúmulo de recordes, se torna cada vez mais difícil quebrar um recorde existente. Um novo artigo (Meehle 2009) examinou os recordes de temperaturas altas e baixas desde 1950. A figura 1 mostra o número de recordes de altas temperaturas (pontos vermelhos) e recordes de baixas temperaturas (pontos azuis). Se as temperaturas não estivessem aumentando, esperaríamos que o número de recordes quentes e frios fossem aproximadamente iguais. Ao invés disso, os recordes de temperatura alta e baixa divergem ao longo do tempo, e aos poucos vêm surgido mais recordes de calor do que de frio.

 


Figura 1: Números anuais dos recordes de temperaturas máximas (pontos vermelhos) e mínimas (pontos azuis) para toda a região dos EUA. A linha preta é composta pelos valores teóricos assumindo que não haja aquecimento nem resfriamento global.

Para examinar isso melhor, a razão dos valores máximos contra os valores mínimos foi calculada para cada ano. A figura 2 mostra a razão anual como os pontos pretos. A linha verde sólida mostra a tendência suavizada estatisticamente. Durante o período de resfriamento global nos anos 1960, houve mais recordes de temperaturas baixas que altas. No entanto, quando o período de aquecimento global iniciou nos anos 1970, a razão de recordes de altas temperaturas para recordes de baixas temperaturas começou a aumentar. Na última década, recordes de alta temperatura diários ocorreram com uma frequência duas vezes maior do que recordes de baixas temperaturas diárias.

 


Figura 2: Observações da razão entre os recordes de altas temperaturas para baixas temperaturas (pontos), linha sólida é uma curva ajustada e suavizada.

Então nós vemos que, mesmo durante o aquecimento global, dias frios são esperados. Apesar disso, existe uma chance muito maior de haver recordes de temperaturas altas do que recordes de temperaturas baixas. Espera-se que essa tendência em direção a dias quentes venha a aumentar conforme o aquecimento global continue ao longo do século 21.

 

Argumento escrito por John Cook

 


 Atualização em Julho de 2015

A seguir estão duas video-aulas relacionadas ao assunto, do curso online Denial101x - Making Sense of Climate Science Denial (os vídeos estão em inglês).

 

 

Translation by Luciano Marquetto, . View original English version.



Get It Here or via iBooks.


The Consensus Project Website

TEXTBOOK

THE ESCALATOR

(free to republish)

THE DEBUNKING HANDBOOK

BOOK NOW AVAILABLE

The Scientific Guide to
Global Warming Skepticism

Smartphone Apps

iPhone
Android
Nokia

© Copyright 2017 John Cook
Home | Links | Translations | About Us | Contact Us